Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Anãozinho de Jardim

Livros e Desvarios

O Anãozinho de Jardim

Livros e Desvarios


Quando vi esta fotografia perguntei-me: "Estará aonde, a escrever a quem e a escrever sobre o quê?"

Colocando esta questão em voz alta, é claro que alguém me responderia: "Não tens nada a ver com isso."

É verdade.

A não ser que este rapaz seja uma personagem da minha criação e eu seja uma espécie de Deusa na vida dele. Gosto desta ideia.

Ao contrário do que acontece quando se lê, escrever tem destas coisas. Quando lemos, estabelecemos relações de empatia (ou não) com as personagens, assumimos a condição e a predisposição humana. Quando escrevemos transformamo-nos em deuses. Pomos e dispomos da vida das personagens a nosso bel prazer, mesmo quando - dentro das suas limitações - elas decidem seguir o seu próprio rumo.

Podemos ser generosos, ou não. No fim, a decisão sobre o seu destino estará sempre nas nossas mãos e afinal, todos os Deuses têm os seus caprichos.   

Bom dia a todos.
19 Mai, 2015

60 Páginas

 
Intrigam-me as histórias que podem ser criadas e contadas em 60 páginas. Penso que é um desafio que me colocarei a mim própria só para ver o que é que daqui sai.
 
 
Estou curiosa.
 
 
Creio que vou repescar uma das minhas crónicas inacabadas.?
?
18 Mai, 2015

As 50 sombras

Ora bem, muito bom dia a todos e - como podem ver - não contente com o descalabro que foram os 2º e 3º livros da trilogia, ontem deu-me na cabeça para ver o filme.

Eu sei, eu sei, foi uma má ideia.

De resto foi - aliás - uma péssima ideia. Gosto do moço, gosto da moça mas, fiquei com a sensação de que estava a ver slides, numa espécie de fotonovela, que contavam bocadinhos da história (do primeiro livro).

E claro, para fazer justiça aos livros, no fim ainda ficou no ar aquela sensação que vai haver outro livro... o que me deixa um bocado preocupada porque este era o melhor dos 3 livros.

Eu devia falar sobre os livros não era? Mas, confesso que só fiquei bem impressionada com o primeiro livro, os outros foram uma repetição e mais do mesmo. A única coisa que fez com que este livro fosse um sucesso foi a abordagem da temática (que nem sequer é nova, há N livros publicados sobre bdsm e N livros sobre Erotica), o resto terá sido uma boa manobra publicitária por parte da editora que soube aproveitar uma maior abertura e receptividade, por parte do público, a estas questões.

Resumindo, no geral, foi um excelente trabalho.