Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Anãozinho de Jardim

Livros e Desvarios

O Anãozinho de Jardim

Livros e Desvarios

Modelos de Livros - Templates

11.08.16, Helena R. Moisio
Atenção aspirantes ao título de Lendas Literárias!

No blogue Clube de Autores  estão disponíveis para download alguns modelos de formatação de Livros, que são uma excelente ajuda para quem não tem paciência e disponibilidade mental para perder com estes detalhes e que não deixam de ser um aspecto importante, na conclusão de um trabalho.

Clicar aqui
  Por isso quem estiver interessado em lá dar uma espreitadela, sinta-se à vontade que os moços agradecem.

Príncipe Mecânico – As Peças Infernais – Vol 2 – Cassandra Clare

08.08.16, Helena R. Moisio
Clicar aqui

Pois bem, então hoje será dia de falarmos um pouco sobre o Príncipe mecânico.

No seguimento das aventuras da Tessa Gray, do Will Herondale e do James Carstairs (também conhecido por Jem), desta vez a rapaziada do instituto de Londres dedica-se à resolução de alguns problemas pessoais e querelas institucionais provocadas por Benedict Lightwood. Isto não significa que se tenham esquecido de Mortmain, não só não se esqueceram como passam as 370 páginas do Livro à procura dele. No entanto, o enfoque deste livro não é tanto no enredo central mas no desenvolvimento individual de cada personagem, relações entre elas e relação com a temática.

Mais uma vez, a linguagem utilizada é fabulosa e a recriação da época fantástica. Muito positivo é também a presença de elementos do género Steampunk que, já existiam também no primeiro livro apesar de eu não os ter referido na altura.

Até agora não estou nada decepcionada com esta trilogia e continuo, sem dúvida, a recomendar a sua leitura para quem gosta do género.


Fonte: Le Livros  

A Dama de Shalott

05.08.16, Helena R. Moisio
A Dama de Shalott é um poema ou balada vitoriana, escrita pelo autor inglês Alfred Tennyson. 

Este poema conta a história da Dama de Shalott que vive numa ilha, com um castelo, próxima a um rio que flui para Camelot, mas pouco se sabe sobre ela e sobre os agricultores locais. 

À medida que o poema avança é descrita a vida da dama, descobrindo-se que ela foi amaldiçoada, e precisa constantemente tecer uma rede mágica sem poder olhar directamente o mundo. Em vez disso, ela vê através de um espelho que reflecte a movimentada estrada de pessoas de Camelot que passam pela sua ilha. 

Um dia, vê então o "ousado sir Lancelot" em seus passeios. Ela para de tecer e olha pela sua janela em direcção à Camelot, caindo sobre si a maldição. Ela deixa sua torre, encontra um barco no qual escreve seu nome, e desce o rio em direcção a Camelot. Só que ela morre antes de chegar ao palácio, e entre cavalheiros e damas quem a vê é Lancelot.


Pág. 1/3