Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Anãozinho de Jardim

Livros e Desvarios

O Anãozinho de Jardim

Livros e Desvarios

Ter | 02.02.16

A Arte do Nome - 5 regras importantes

Helena R. Moisio
Arte de Eve Ventrue

Todos aqueles, que num momento ou noutro, já pensaram em escrever qualquer tipo de história de ficção sabem que dar nome às personagens é um desafio dos diabos (e de vez em quando pode ser um verdadeiro pesadelo). A mim já me aconteceu estar toda entretida a escrevinhar umas coisas, depois chegar à página 150 e concluir que o nome das personagens está errado. Este é o momento que deixamos cair a cabeça em cima do teclado e pensamos: "Isto não me está a acontecer". No entanto, há que admitir que escolher nomes é também uma arte.

Normalmente, quando queremos dar nome às personagens há - pelo menos - 5 regras que podemos ter em atenção de modo a facilitar a denominação:

É uma personagem masculina ou feminina?

Estamos a falar de um adulto, de um jovem ou de uma criança?

Quais os nomes mais comuns à data de nascimento da personagem?

Verificar a raiz do nome. Decidir se tem ou não alguma coisa a ver com a personagem.

Dizer o nome da personagem em voz alta. Vejam se soa bem, se é um nome forte e se a personagem tiver um nome difícil de dizer, deem-lhe uma alcunha ou arranjem-lhe um diminutivo se quiserem ir por aí.

Na minha opinião, independentemente de tudo, lembrem-se sempre que o nome é a personagem. É a sua identidade, por isso é muito importante investir algum tempo na pesquisa de um nome que reflita a natureza da mesma.